domingo, 27 de maio de 2018

Na época da inocência

Em uma época, de inocência tarde de verão e Kaleb estava deitado no sofá. Um moleque , sem camisa no sofá vestindo apenas uma bermuda fina em Tactel simples com uma cuequinha slip por baixo, assistindo TV. Sua mãe trabalhava a tarde toda e ele estava se distraindo por aquela tarde normal folgada de qualquer criança. Ouviu logo um bater na porta. Foi com seus pés descalços caminhando devagar e viu um garotinho uns meses mais velho bem familiar. Seu melhor amigo, Higor, tinha o cabelo curto e arrepiado e estava trajando uma bermudinha jeans e uma regata que logo seria retirada para que ele brincassem um pouco. Como coleguinhas,

Kaleb era bem bonito. Seu corpo magro, mamilos rosados e sem pêlos alguns o menino tinha cabelos grandes e castanhos. Ao contrário do amigo que já começava a ter um pouco de pêlos nos mamilos e barriga. Mas eram ambos magros. Logo, Higor retirou a regata e jogou em um lugar qualquer da sala.

- Eae, Kaleb! Vamo fazer o quê?
- Sei lá, man. O que tu achar melhor.
- Então bora jogar alguma coisa. Futebol, sei lá.

E os moleques desligaram a TV e foram para o quintal. Retiraram a bermuda que atrapalhava seus movimentos, e sempre sem pudor nenhum visto a irmandade que carregavam, retiravam os shorts que tampavam suas cuequinhas infantis. Kaleb, com uma slip azul que por vezes marcava a malinha, e Higor com uma Boxer amarela que marcava o volume do pênis juvenil que ele possuía. Foram ao quintal, suando pelo calor do sol quente que se expunham. E depois do jogo, resolveram se banhar um pouco para que tirassem o suor. Eram como irmãos, o que poderia dar errado?

Entraram no banheiro e Kaleb começou a lavar os cabelos compridos que adora estavam em sua nuca já. Tirou a cueca que estava em sopa e revelou um pênis mole, com muita pele ainda mas até grande para a idade. O amigo reparou aquilo, quieto. Mas sua cuequinha Boxer amarela aos poucos armava sua barraca do outro lado do box, aonde esperava o irmão terminar o banho para entrar também.

- Man, cê quer entrar junto? - Gritou Kaleb de dentro do box fechado.
- Q-quero... - Disse meio nervoso k amigo.

Tirou a Boxer e ficou pelado. Alguns pêlos pubianos um pênis mais desenvolvido e com um pau durinho infantil que era uma delícia. Kaleb ficou animado quando viu.

- Cê não precisa ficar tímido. Meu pinto também fica duro mano!
- Ok...

Passou para pegar um sabonete meio sarrando o amigo. Eles aos poucos estavam ambos de pau duro.

- Cara cê já toca punheta?
- Eu já o que?

O amigo chegou por trás de Kaleb, com o pauzinho roçando em suas costas e poupas e o garoto estava com o corpo em sopa. Ah, aquele corpinho molhado com a água... Que tesão... Seus paus já babavam e ambas as respirações estavam ofegantes. O corpo magrinho e pelado de Kaleb era um tesão.

- Assim... - E pegou por trás no pau do amigo, mexendo devagar. - Tá curtindo?

- Tô sim... - Disse Kaleb, de olhos fechados, gemendo.

A mão de Higor deslizava no pênis do amigo pela água, baba, e tesão... Passava devagar a mão no saco, pau, cabeça...

- Velho, cê nunca tinha tocado uma?
- Não... - Disse Kaleb. - Eu preciso mijar...
- Não, não goza ainda. Espera...

Logo, o amigo abaixaram no box. Arreganhou o pau dele pegando e disse para pegar no dele e de forma que ficasse batendo um para o amigo.

- bate aqui no meu pau aqui.

E o Kaleb, com os olhinhos meio perdidos colocou o pauzinho . Logo, começou a tirar e colocar novamente. Higor explodia em tesão.

- Goza na minha mão , vai seu safado!

Kaleb fechou os olhos e sentiu-se bambear. De seu pênis uma gosma transparente espirrava dentro do amigo.

- ahhhh - Ele gemia alto, se mechendo para dentro.

- E agora me faz gozar.

O garotinho Kaleb chegou perto do pênis e começou a bater para ele. Batia aquele pau que pulsava na mão dele.

- Isso, bate tudo...

Logo gozou dentro na mao do amigo, sentados embaixo do chuveiro... Assim, a amizade estava selada a todo dia depois do jogo uma brincadeira divertida entre amigos.

2 comentários:

  1. mto bom mano se tiver continuação posta pf

    ResponderExcluir
  2. Conto mais ou menos. Mas parabéns

    ResponderExcluir