quinta-feira, 18 de maio de 2017

Flagrado na punheta com amigos no banheiro da escola


Conversando com amigos, soube que uns poucos já batiam e outros ainda não, dos que não sabiam tinham dois que eram mais amigos meus, então combinamos de nos encontrar no banheiro da escola pra eu ensinar uma coisa legal que tinha aprendido com meu primo.

No intervalo, que era grande por acaso, nem lanchamos, fomos nós três para o banheiro, na escola no fim do corredor havia um banheiro isolado no fim do corredor, onde raramente ia alguém; e foi lá mesmo que fomos. Morrendo de medo de ser pego, mas com muita vontade de dar uma gozada, fomos lá. Entramos e trancamos a porta, já com o pinto duro, comecei a bater uma punheta com o pau voltado para o mictório de metal.

Disse pra eles fazerem igual o que eu estava fazendo, que eles iam sentir uma coisa gostosa quando saísse o gozo. E fui nessa até gozar. Eles dois rapidamente gozaram também, foi a primeira punheta deles.

Passado uns dias, a turma da sala combinou o seguinte, sempre que alguém levasse uma revista de fóda, ou Playboy pra escola, deveria deixar num lugar estratégico dentro do banheiro e avisar os amigos. E assim fizemos.

As vezes eu levava uma revista, batia uma, e avisava um colega onde estava a revista, ele batia a punha dele, e assim seguia. Durante a aula era a filinha de sempre, pedindo para ir ao banheiro. E o último, devolvia a revista na saída pro dono da revista, o combinado era que não podia gozar na revista !

Ficamos nessa um tempinho, mas a professora que não era burra percebeu algo, e um dia um dos colegas da turma foi pego no flagra! kkkkkkkkkk Não deu outra, o colega que foi pego, volta pra sala de aula com o assistente da diretora, que com a revista enrolada pergunta na sala em voz alta quem é o dono da revista. Eu que era o dono, e os colegas que já tinha batido uma no banheiro naquele dia, ficaram quietos. Mas o colega que foi pego, em dedurou, e a professora que manjou tudo, mandou toda a turma que tinha ido no banheiro antes do colega ir comigo também para a diretoria. Lá levamos uma advertência e uma bronca, mas o mais fóda é que toda a sala já sabia o que tinha acontecido.

Mas não paramos por aí! Depois passamos a nos reunir sempre na casa de um amigo da turma, horas na minha horas na casa de outro, e começamos a bater todos juntos.

Hoje sou um quarentão casado, e dou risada de toda essa situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário