terça-feira, 1 de março de 2016

Eu confesso que ainda jovem provei algumas brincadeiras com meus primos.

 Criados próximo a uma fazenda, sempre estávamos no meio do mato e gostávamos de bater punheta, olhando revistas pornográfica juntos. Uma certa vez eu e um primo mais velho resolvemos fazer a famosa meinha ou troca, meu pau sempre foi pequeno e fino, já meu primo, era super dotado, grande e grosso. Ele pegava no meu pauzinho e eu pegava na rola dele, minha mão não fechava e eu não conseguia gozar, já meu primo sempre me dava um banho de porra, farta, branca e grossa.
Num outro dia voltamos para o matagal e meu primo sugeriu que brincássemos de guerra de espada. Ficávamos um de frente para o outro e batínhamos a pica uma na outra. A pica dele era enorme e ele sempre a enfiava por debaixo do meu saquinho, roçando até alcançar meu cuzinho. Me abraçava e chupava meus peitinhos, apertava minha bundinha e começava a me arregaçar com as mãos fortes dele. Era uma dominação total, e eu me entregava. Neste dia ele me levantou colocando seus braços por baixo de minhas pernas, abrindo e me arregaçando, eu sentia sua pica melada e quente encostando meu cuzinho, ficou assim por alguns minutos.
Ele me devolveu ao chão, deitou e me fez mamar sua pica, que mal entrava na minha boca, eu a lambia de cima até suas bolas. Até ele jorrar de tesão e me fazer beber sua porra, grossa e meia ácida e meia doce, no início foi estranho, mas logo depois da segunda vez de nossas aventuras, me acostumei. Era só ele dizer pra mim: -Primo, vamos dar um rolé na fazenda... já sabia que deveria tomar um banhozinho e ficar bem cheirosinha para meu macho.
Era uma sexta feira e fomos novamente para a fazenda, só que desta vez eu não sabia que seria comido de verdade.
Chegando no local de sempre, ele já veio me agarrando e me dominando, um tesão enorme como sua pica que saltou da bermuda.
Me colocou para mamar e me colocou de quatro e para minha surpresa, quando ele percebeu que eu estava bem cheirosinha, caiu de lingua no meu cú, foi incrível, que sensação, nunca tinha sentido isso. Enfiava um dedo, lambia, enfia dois dedos, lambia, arregaçava e tocava bem de leve com a ponta da lingua. Eu delirava de tesão e gritei pedindo: Me fode tesão!!! Me fode vai!!!
Ele logo cuspiu da cabeçona de sua pica e enfiou bem devagar, até eu se abrir e quando estava tudo dentro, ele tirou rápido e depois enfiou de uma só vez...
Gritei... ele tirou de novo, esperou um pouco, pincelou até eu pedi para ele colocar tudinho, aí ele foi bem devagar e começou o vai e vem...
Ora bem devagar, acelerando e depois, o mais delicioso, bem rápido e bem forte, bem fundo, segurando na minha cinturinha... socadoooooooooooo!!!
Até que mudamos de posição, fiquei de frente e cavalgava...
Voltei a ficar de 4 e ele montou por cima, com suas pernas entre minhas mãos e minha coxa, socava forte de cima para baixo e segurava em meus ombros... gozou forte, me encheu de porra quente, meu cuzinho dilatou e quando ele tirou, coloquei a mão e percebi que estava arrombadinho e totalmente melado.
A porra do meu macho levou uns dois dias para sair de dentro de minha, era delicioso passar o dia sentindo o gozo dele dentro do meu cú.
Andar e sentir o cuzinho melado, ir ao banheiro e sentir sua porra escorrendo... amei esse dia, foi e é inesquecível...

Nenhum comentário:

Postar um comentário